Um ato de covardia

Olá, amigos.

 

O que vimos ontem no Engenhoso foi algo deprimente. Para quem esperava um Vasco jogando como Vasco, o que constatamos foi um time com uma postura covarde, jogando como um clube pequeno e desonrando suas tradições.

A camisa vascaína é forte demais para admitir algo como o que foi feito diante do razoável Botafogo.

 

Moçada, será que o nosso adversário era/é tão superior assim ao ponto de abdicarmos de jogar futebol?

Ouvir as declarações do Gaúcho e de alguns jogadores após a partida não foi tarefa das mais agradáveis.

 

“O Vasco não tinha como jogar com o Botafogo no campo inteiro…” (Gaúcho)

“Postura defensiva era necessidade para o Vasco…”(Gaúcho)

 

“Foi complicado, tentamos. Infelizmente, não conseguimos”, lamentou o jogador, que viu o Vasco com postura excessivamente defensiva. “Ficamos muito atrás, tentamos jogar pelo regulamento”. (Nei)

 

“Defender os 90 minutos é difícil” ( Renato Silva)

 

Nitidamente a ordem era para segurar o empate desde o início do jogo.
Entramos em campo com a mesma atitude do jogo contra as tricoletes na semifinal. A diferença é que no segundo tempo daquela partida soubemos aproveitar o cansaço e desespero do time deles e exploramos bem os contra-ataques.

 

Ontem a coisa foi ainda pior. Em nenhum momento demonstramos vontade de vencer o jogo. Opa, vou corrigir. Em NENHUM momento demonstramos algo que pudesse ser chamado de futebol.
O Vasco só bateu, bateu, deu bico pra frente e não buscou ABSOLUTAMENTE nada. É a chamada tática suicida.

Acho que o nosso treinador estava acreditando que “o raio poderia cair duas vezes no mesmo lugar”.

 

Uma semana inteirinha de treinamento e é isso que nos é apresentado.

Sinceramente, acho um desrespeito com o torcedor que paga 80 reais no ingresso e vê o seu time de coração atuando de forma bisonha, desonrando suas tradições, assistindo passivamente o adversário comandar o espetáculo.

Isso aqui é Vasco, Gaúcho.

 

O time pode ser inferior, pode não ter o mesmo entrosamento do rival, mas isso aqui SEMPRE será Vasco. Temos que entrar em campo com atitude, com postura de Vasco.

Não podemos jogar 90 minutos nos defendendo covardemente, esperando um milagre. Se do outro lado tivesse um Barcelona, um Real Madrid, seria até aceitável jogar com um certo temor, mas o adversário era o Botafogo, Gaúcho. O Botinha, que tem um timezinho pra lá de razoável, nada que possa assustar.

 

Olha, foi revoltante assistir o modo como a equipe atuou. REVOLTANTE.

Jogar no contra-ataque é uma coisa. Abdicar de jogar futebol é outra bem diferente.

 

Poucas vezes vi o Vasco tão acuado, tão sem gana de vencer como eu vi na tarde deste domingo.

Estávamos jogando uma decisão, minha gente. A vitória nos daria a vaga na final do Carioca e acabaria com esse amargo e incômodo jejum de nove anos sem vencer um turno de Estadual.

Essa derrota não será fácil de digerir.

 

O que posso pedir agora é que o Gaúcho pense bem no que fez, no que falou com os jogadores antes e no intervalo do jogo e tente mudar sua mentalidade de técnico de time pequeno. Não somos Americano e nem Friburguense.

Somos grandes demais para jogarmos como jogamos.

 

Como diz a célebre frase do Vanderley Luxemburgo: “O medo de perder tira a vontade de ganhar”

 

Voltaremos aos joguinhos insossos da Taça Rio.

 

Que a diretoria analise bem tudo que vem sendo feito.

 

O que prestou

 

Se tem algo positivo para se falar desse jogo de ontem, esse algo se chama Dedé. Tá voltando a jogar uma bola redondinha. Que bom. Nosso zagueiro está recuperando a confiança e vem jogando sério, fazendo o simples, sem inventar.

É o melhor do país.

 

Também não vou deixar de citar a boa atuação do Renato Silva. Fez o que pôde para evitar as investidas do ataque do Botafogo.

 

Abuda vem demonstrando um crescimento importante. Bem na marcação e melhorando na saída de bola.

 

Decepções

Éder Luis teve atuação pífia.

Carlos Alberto perdeu um gol incrível no início do jogo e deu um belo voleio no meio do segundo tempo. Mais nada.

Bernardo errou TUDO e mais um pouco.

Nei ainda não se acertou no Vasco. Vem sendo facilmente batido pelos jogadores adversários e pouco apóia o ataque.

Feltri é uma nulidade irritante.

Wendel fez partida burocrática.

Pedro Ken não apareceu em campo. Alguém o viu?

 

Observações

 

Espero que o Dakson ganhe uma chance no time titular na Taça Rio. Tá merecendo.

Yotún resolverá nosso problema crônico na lateral esquerda?

Sandro Silva assumirá a titularidade na cabeça de área. Teremos uma melhora no setor defensivo.

 

E ofensivamente, meus amigos? Será que poderemos contar com o Negão de Vidro? Será que o Lesionardo sairá do DM?

Dá pra confiar plenamente em Carlos Alberto e Bernardo?

Perguntas que ficam no ar.

 

Finalizando

 

Título incontestável do Botafogo. Venceu quem procurou jogar bola.

 

Obs: O engraçado na entrevista pós-jogo do Gaúcho foi que ele disse não ter visto a áspera discussão entre Carlos Alberto e Bernardo.

Será que ele tava no Engenhoso? Tava vendo o mesmo jogo que nós, torcedores?

 

Senhor Treinador, é preferível perder lutando, tentando…

 

O Vasco é grande demais para atuar desta forma vergonhosa. Pense nisso!!

 

É isso aí…

 

Tenham todos uma boa semana e Saudações Vascaínas

 

Mauro Segadas

Twitter: @VascoJuve